Arte de todas as Artes!




A milhares de anos o homem se expressa empregando os cinco sentidos, com eles o indivíduo consegue ter diversas percepções do mundo onde vivemos. Essas sensações diversas são o grande barato de nossas vidas, através dos nossos sentidos que podemos passar por novas experiências e absorver as muitas possibilidades que o viver nos proporciona.


Vendo diferentes ambientes externos, sendo retratados por curiosos com grande criatividade, querendo mostrar as movimentações que ocorreram por lá me deixou bem curioso. Naqueles locais, eles capturam as imagens das coisas e das pessoas que passam por ali de uma forma bem espontânea e interessante, o pessoal não se importava muito em estar sendo observado, apenas seguia em frente com suas vidas.

Essas imagens percebi que mostravam o cotidiano das pessoas, o dia a dia delas naqueles poucos segundos ao passar naquele espaço. A rotina daquele determinado lugar era tão simples, mas ao mesmo tempo chamava a atenção, acho que pela nossa curiosidade natural de saber o que está acontecendo e o porque aqueles caras estavam registrando aquilo.

Depois de registrarem, li que após os registros eles preparavam um material e isso era apresentado para as pessoas que passavam por lá na hora dos registros. Então elas eram ao mesmo tempo protagonistas da situação e público-alvo daquelas cenas que a vida comum de um lugar aleatório proporcionou.

Mas chega o momento que não era suficiente mostrar imagens rotineiras, a novidade na época necessitava dar voos maiores, evoluir no modo de se fazer tudo aquilo que já impressionava o povo.

A primeira grande mudança foi a de que os fatos começaram a ser passados um após o outro, tendo um fluxo maior entre as imagens passadas e ganhando uma história lógica, atraindo ainda mais público para essa novidade renovada.

Com uma evolução continua ela vai avançando pelo tempo, essa sequencia se deu com a utilização de uma narrativa avançada, através de textos, falas e vendo a linguagem cada vez mais próxima de tudo aquilo. Esses acréscimos deram maior base de entendimento ao público que se interessava cada vez mais em apreciar.

O que observei que veio bem perto da evolução narrativa, foi o uso de cenas polidas de excessos em grande escala. Criadores levando ao máximo sua imaginação e tentando demonstrar isso em cenas para a população, com aumento e diminuição de coisas, sumiços e aparições repentinas, cada vez mais surpreendendo o apreciador.

Veio então primeiramente para mostrar movimentações e imagens da vida de certos lugares, depois vem as cenas continuadas, que relatam uma história baseada em um enredo pensado, e posteriormente a tudo isso surge outra vez algo transformador e inovador.

Aparece o elemento do som que se junta dentro de toda essas misturas de expressões e ideias comunicáveis para quem está do outro lado. O sonoro da a chance de trazer mais vida, permitindo as mentes criadoras viajarem ainda mais nas suas produções, a sonoridade dos objetos, das pessoas se transforma em um atrativo a mais muito importante na hora de se fazer e de receber esse tudo.

Acredito que ela seja talvez a arte mais interessante, por causa das emoções sentidas e da identificação que o público tem imediatamente com as histórias, eles se veem lá, participam, interagem, refletem sobre o que está sendo passado de uma forma muito verdadeira e única, algo que às vezes é difícil de explicar ou descrever.

Ela proporciona o encantamento mútuo de quem a recria e a reproduz e das pessoas que vem o resultado final, essas que recebem a história e a criação de desconhecidos que conseguiram dizer tanto sobre nós. É nela que encontramos a simetria ideal entre a história e o ritmo, que vai envolvendo e roubando a nossa atenção cada vez mais.

É arte que se liberta de todas a outras, podendo ir da verdade a poesia em poucos segundos, sem nenhum receio ou pudor. Ela foi criada a partir de outras, se absorvendo dos conhecimentos já existentes desde seu inicio, mas depois se torna uma influenciadora, tendo uma linguagem muito especifica e diferente de suas irmãs que também começam a beber da fonte que essa arte criou.

Métricas, rítmicas, cortes rápidos, planos gerais e médios, montagens, com todos esses elementos tudo se torna possível, a evolução continua até os dias de hoje e sempre continuará, acho que Edison e os Lumiéres não tinham a noção do tamanho da proporção que tomaria está criação. Uma surpresa boa que nasceu a centenas de anos na mão de poucos e que hoje é um traço de cultura que contribui muito para as diversas culturas de muitos.
Arte de todas as Artes! Arte de todas as Artes! Reviewed by #Eric Silva# on 27.6.10 Rating: 5

3 comentários

  1. Eric e suas postagens profundas, mas essa não tem tom de revolta e sim de Admiração ... muito bem formulado o post

    e o Castelo mostrando sua diversidade cultural

    ResponderExcluir
  2. Cultura é cultura... conhecer a cultura alheia, fora a que esta acostumado e ter senso critico ai sim é ser culto...

    parabens eric e sem mais comentarios...

    ResponderExcluir