Diario de Campanha - O inimigo está proximo...

(O inimigo está proximo... você esta preparado?)

Olá companheiros de taverna! Continuaremos com nosso conto do Mata-Ogro e suas aventuras hoje, afinal é de histórias e aventuras que se nasce um mito...


Diario de Campanha - O inimigo está proximo...

Onde paramos no conto na ultima fogueira? Ah sim! Agora me lembro, falávamos de como seu capitão Kavenagh ganhara o titulo de Mata-Ogro. Bom, o que mais posso dizer... Ah claro! Os dias que se passaram antes da grande batalha de anatólia:

Após sua condecoração oficial Kavenagh fora chamado a um conselho com emissários de todo reinado de Toril, dentre eles este humilde bardo que vos fala. Ao lado de Komodoro Maxim, o bravo, estava Raldor, Emissário da igreja de St. Cuthberth e emissário do reinado do Imperador David. Após uma longa conversa sobre a situação atual e o risco que Anatólia e Toril correm com a queda de seus vizinhos, Kavenagh descobre no final da sessão, quando apenas Raldor eu e Komodoro restávamos sobre a mesa, que serão necessárias suas habilidades para uma missão especial, missão essa que lhe será revelada dentro de 10 dias com a chegada do ultimo envolvido nessa façanha.

Finda a reunião Kavenagh decide gastar seu tempo livre levantando algum dinheiro e um pouco de lazer. Eis então que decide fazer uma visita ao seu velho amigo Krusk, que vive em uma cabana nas proximidades da cidade, em meio à floresta. Krusk é um meio-orc que se tornou um grande amigo dos Maxim após um incidente quando jovem. Desde então vive na floresta e ocasionalmente vem à cidade para vender artigos da floresta.

Antes de sair, ao passar na ferraria para comprar alguns artigos para sua pequena forja (presente de seu pai), Kavenagh se depara com seu companheiro de milícia Sam, ainda em recuperação devido ao ataque ao covil do Ogro. Kavenagh lhe pergunta se ele não conhece alguém que seja um comerciante de boa índole e com bons artigos. O jovem Sam então lhe diz que dentro de sete dias chegará um primo seu a cidade junto de uma comitiva que poderia ajudar o capitão. Com isto Kavenagh parte em busca de Krusk, quem sabe uma tarde de caça e pesca não lhe faria bem?

Ao chegar à cabana de seu velho amigo Kavenagh se depara com uma cabana em belo estado de conservação, mas fechada, e vazia, muitos dias seus ele passou por neste local. Provavelmente Krusk deve ter ido caçar, ele sempre está caçando e vendendo carne e peles na cidade. Todos o conhecem por isso. Portanto ele decide procurá-lo floresta adentro.

(em tempos de crise é o melhor que se consegue...)

Com alguns minutos de caminhada Kavenagh percebe fumaça saindo de uma clareira ao longe, talvez seja Krusk assando mais um dos enormes peixes do lago próximo. Para não ficar atrás Kavenagh decida caçar algum animal para ter algo o que dividir com seu amigo depois. Eis então que ao encontrar um cervo pastando Kavenagh é surpreendido por uma azagaia que alveja sua presa. Claro que só poderia ser seu amigo Krusk.

Os amigos passam um breve momento com pouco de conversa sobre os velhos tempos enquanto preparam o cervo para o transporte quando o Mata-Ogro cita a fumaça na clareira. Krusk estranha o fato, ele conhecia cada habitante da região, pois somente ele vive ali, assim ambos decidem investigar.

Espreitando na clareira os dois guerreiros se surpreendem. Hasteada em meio a algumas tendas uma bandeira negra com duas espadas e uma caveira: A marca da aliança negra. Sentado ao fogo três Orcs, provavelmente batedores inimigos calmamente almoçavam, aparentemente sem vigilância alguma.

Ambos discutem sobre o que fazer, com inimigos tão próximos a cidade, não seria possível voltar à mesma para avisar sobre os três, era necessário silenciá-los antes que pudessem avisar algo aos seus. Kavenagh como soldado experiente decide ficar na espreita, mas esquece do ímpeto de seu amigo que ruidosamente investe contra três oponentes apenas com seu machado, seu corselete de couro e sua coragem, proferindo palavras como “Vocês escolheram a floresta errada para acampar!”.
(se achava durão não é?)

Apesar de parecer loucura a idéia de Krusk fora genial. Ele chamara a atenção dos três oponentes com sua investida deixando os desavisados sobre a presença de Maxim. Brandindo ferozmente seu machado de lamina dupla, Krusk fere gravemente um dos Orcs no ombro, enquanto seus companheiros se atropelam em busca de suas armas bradando os mais sujos palavrões de toda a cultura Orc.

Os Orcs inimigos, agora armados com uma lança longa, escudos e machados, investem para dar combate a Krusk que desesperadamente tenta bloquear seus ataques. Kavenagh vendo seu amigo em apuros da à volta na clareira e surpreende o já ferido oponente, agora armado, com uma mortal adaga no pescoço.

Krusk se mostra formidável em combate, mas mesmo a força de um meio Orc enfurecido não é suficiente contra dois Orcs puros. Um dos guerreiros, aparente mente o líder consegue um golpe certeiro com seu machado, fazendo um ferimento profundo no peito de Krusk. Kavenagh corre para ajudar, mas é difícil ajudar quando se tem um lanceiro inimigo sedento por te alvejar. Krusk após este ataque parece entrar em torpor, com um grande brado de guerra ele lança seu algoz contra a fogueira com um golpe poderoso de seu machado, após boa matança, ele investe contra o lanceiro, deixando-o em apuros contra dois guerreiros experientes inimigos.

Kavenagh se espanta com tamanha demonstração de força, mesmo sangrando, Krusk pressionava cada vez mais seu oponente, até que o mesmo deixa uma abertura para o golpe fatal do Mata-Ogro. Kavenagh habilmente empunha sua espada e salta a fogueira em direção ao lanceiro, desviando com seu escudo o hábil ataque do inimigo, ao pousar com um giro no solo, vara seu oponente acima da traquéia, silenciando-o de uma vez por todas. Infelizmente dessa vez não teremos prisioneiros para interrogar.

Krusk recebe primeiros socorros do amigo, que rapidamente checa nas tendas em busca de provas, no caso encontrando uma estatueta de ouro do conhecido olho de gruumsh, o deus caolho dos Orcs, senhor dos conquistadores. E assim leva rapidamente seu amigo para a cidade em busca de tratamento...

(Ja ouviu falar em olho gordo?)
Diario de Campanha - O inimigo está proximo... Diario de Campanha - O inimigo está proximo... Reviewed by Vileblade on 23.8.10 Rating: 5

2 comentários

  1. Isso são as sessões de domingo do seu grupo?

    ResponderExcluir
  2. Tipo sessões de domingo não, na verdade sessões esporadicas de vez em nunca, mas esse em especifico é uma sessão onde o centro da história foi o personagem de meu irmão...

    ResponderExcluir